conjunto vazio

pg02

Há algumas semanas comentei aqui no Ilustras sobre a designer gráfica e ilustradora Anna Anjos.
Volto nesse novo post a falar sobre um projeto recém-lançado chamado “Conjunto Vazio”, uma parceria de Anna e o roteirista Mario Mancuso.

pg05

Eles definem: “Esta HQ fala sobre a solidão. Não se trata apenas de não estar com alguém ou de ficar sozinho, mas de ser sozinho, se isolar. Acredito que as infelicidades que sofremos são ocasionadas por nossos próprios sentimentos e ações e a solidão não é diferente. (…) Ele é um cara comum, igual a milhões que transitam por aí diariamente, que esquecem a magia, beleza e nuances da vida.”

pg07
Aqui são exibidos alguns trechos desse projeto. Confesso que fiquei muito admirado com o trabalho, o tema da solidão é colocado de uma forma muito original, envolvido numa atmosfera reflexiva. Assuntos como esse sempre correm o risco de se tornarem tristes ao longo do seu caminho, mas não é esse o caso do “Conjunto Vazio”.

A sensibilidade de Anna Anjos e o belo trabalho de Mancuso ditam um ritmo que conduz o leitor numa aventura sensorial. A HQ não possui os tradicionais balões ou recordatórios, a imagem em si comanda o desenrolar da história.

Mancuso é responsável também por um belo conto, do mesmo assunto. Segue abaixo um trecho inicial:

“Começo de noite de uma data qualquer.
A cidade soa ruidosa sob a sinfonia dos que voltam para casa no fim de mais um dia. Em seus lares, bares, todos os lugares, as pessoas se reúnem, se encontram, se unem, se aconchegam e interagem, celebrando o fim de um dia e o começo de outro.
Em um prédio não muito novo nem velho, nem rico nem pobre, nem grande nem pequeno, em um bairro pouco afastado, mas não muito próximo, o som de uma chave girando quebra o vazio do apartamento. A porta se abre respeitosamente, mas a luz do hall é pouca para amainar a escuridão silenciosa das ruínas inóspitas do que se chama de lar (ou lugar de moradia, se preferir um termo cru, mas sincero). Calado, o homem entra vacilante como alguém que está prestes a iniciar um sonho ruim e freqüente. Quase instintivamente, ele acende as luzes (quantas forem possíveis) enquanto percorre a sala sem vida, furtivo, rumo à cozinha, estilo americana (recém adquirida em uma liquidação), limpa e arrumada. Põe as sacolas de compras sobre o balcão e concentra-se, buscando escutar uma melodia doce de boas vindas. As luzes disfarçam o ambiente, mas o silêncio sepulcral é incisivo em afirmar o obvio.
Porém, o silêncio não é absoluto, pois os ruídos externos são emprestados para compor vida neste ambiente sem vida. Carros e sirenes nas ruas, passos no andar de cima, uma moto trazendo pizza, um rádio em alguma sacada, um portão que se abre, conversas distantes e ininteligíveis, uma criança de colo que chora, alguém transando em algum lugar na vizinhança, o arrolar dos pombos no começo de noite…
De forma metódica, o homem volta para sala, tira o paletó e pega o controle remoto na base de madeira ao lado do telefone. Liga a TV (ah, como a vida moderna seria insuportável sem esta Afrodite de raios catódicos…), e aperta o botão da secretária eletrônica para escutar suas mensagens. A voz mecânica e monótona da máquina sempre o agradou, talvez até lhe trouxesse devaneios eróticos, mesmo quando diz, inclemente, que não há mensagens…”

A HQ está no fórum da revista Front nº 21. Confira!

O site do roteirista da HQ, Mario Mancuso:
www.mariomancuso.com.br

O site da ilustradora Anna Anjos:
http://www.annaanjos.com/home/pt.htm

Anúncios

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: